A Conferência Nacional de Cultura (CNC), realizada de quatro em quatro anos, é o principal momento de reunião, debate e decisão da sociedade na construção e aprimoramento de políticas públicas de cultura. A CNC reúne governos, artistas, produtores, gestores culturais, pesquisadores e demais cidadãos ligados à cadeia da cultura ou que se vinculam ao tema para dialogarem e trazerem seus pontos de vistas, necessidades e contribuições.

O processo da conferência tem início com etapas municipais ou intermunicipais, regionais ou territoriais, estaduais e distrital –  caso do Distrito Federal-  concluindo-se com a etapa nacional. Cada etapa deve aprovar propostas e eleger representantes – os delegados – para a etapa seguinte. Como meio de ampliar a participação e debate podem  ser realizadas conferências livres e conferências virtuais. Essas não elegem delegados, mas podem encaminhar propostas para as outras etapas.

As conferências municipais se encerraram em 11de agosto. As demais etapas serão realizadas nos seguintes períodos:

  •  regionais ou territoriais até o dia 15 de setembro de 2013;
  •  estaduais e distritais até o dia 29 de setembro de 2013;
  •  nacional 26 a 29 de novembro de 2013, em Brasília.

O tema desta edição é “Uma Política de Estado Para a Cultura: Desafios do Sistema Nacional de Cultura” e abordará a implementação do Sistema Nacional de Cultura em todo o país, cultura e desenvolvimento econômico, cidadania e direitos culturais, diversidade cultural e produção simbólica, comunicação e cultura digital, dentre outros.

E dentre as questões em debate nesta conferência está a pauta da democratização da comunicação e a cultura digital. O desenvolvimento técnico no campo comunicativo e informacional é certamente uma das principais marcas das transformações ocorridas nas últimas quatro décadas e trouxe novos desafios no campo da educação e das várias dimensões da cultura.

Nesses desafios se colocam: a necessidade de meios de comunicação que sejam tão diversos quanto a enorme variedade de modos de viver, fazer, criar e pensar; a digitalização e disponibilização de acervos guardados em bibliotecas, cinematecas, arquivos e museus ; a ampliação da infraestrutura tecnológica e produção de conteúdos independentes para rádio, televisão, cinema, internet e outras mídias.

Para saber mais sobre o Regimento Interno da 3ª Conferência Nacional de Cultura clique aqui. Para mais informações sobre o documento base clique aqui.